domingo, 1 de janeiro de 2012

Fim da maratona do Natal e planos de ano novo

Eu sobrevivi.  Natal esse ano me cai em um final de semana, sem direito a uma folguinha sequer na sexta-feira para a pessoa se organizar melhor. Ou um diazinho a mais depois para a gente se recuperar da comilança e das noites com menos horas de sono. Foi intenso, mas tô viva.

O primeiro desafio foi o de compras natalinas. Como comprar presentes quando seus ricos dinheirinhos da conta bancária estão completamente comprometidos com o pagamento do final da obra? Simples. Compra-se um presente baratinho, mas com significado. No meu caso, foi porta-retrato para todo mundo com foto do filhote. Presente ideal, pois Davi nasceu neste ano (não daria para fazer isso no Natal em que ele estivesse com 8 anos, porque aí não seria mais fofo e sim pão-durice - tudo é questão de timing, people). E foi para todo mundo meeesmo. Até para as tias da creche (só aí foram 10 porta-retratos). Deu um trabalhão embrulhar um a um, mas ficou bunito! Resultado: gastei menos de R$400,00 e consegui comprar presente para geral. E todo mundo a-mou e de quebra elogiou minha criatividade (meu ego agradece).

O segundo desafio do Natal foi o calor. Estava aqueeele calor senegalês, sensação térmica de 40ºC na sombra. Parecia que a gente estava fazendo sauna o tempo inteiro de tão úmido. Só o Davi tomou seis banhos (recorde), mas era só sair do chuveiro que já começava a suar de novo. Isso porque os aparelhos de ar condicionado lá de casa ainda não foram instalados e habitam o chão da minha cozinha nova (seis caixotes gigantes empilhados, três splits e suas respectivas unidades externas). Então, encaramos o calor apenas com um único ventilador pequeno, que praticamente só ventila uma pessoa, se a mesma ficar com a cara colada nele.

Por fim, some o calor à logística do Natal e a um bebê de quase dez meses. O caos na Terra. Rotina totalmente esculhambada. Até porque os compromisso começaram na sexta à noite, com o encontro da Ramalhada (família da minha mãe, da parte do meu vô, que normalmente não passa junto a véspera do Natal). Davi super sociável com todos, pulando de colo em colo, até a hora em que normalmente dorme (por volta de 20h). Aí, mamou e apagou no meu colo, até o momento de entrar no carro. Escândalo, misto de sono com tédio, mais a amarração da cadeirinha. Choro em cima de choro. Nesses casos, não resito e pego. Só o peito acalma (sei que não é certo e tento ao máximo distraí-lo, mas tem vezes em que nada dá jeito e não aguento ouvir ele se esguelando).

Dia seguinte, na véspera do Natal, passamos a tarde com a família do meu marido. Mais calor. Davi de fraldinha o tempo todo. Esquece roupa nova do Natal. De novo, o guri passa de colo em colo, a simpatia em pessoa. Se amarra mais no andador da tia-vó recém-operada do que nos brinquedos que ganhou. Come sorvete de creme e se esbalda. Geladinho proviencial naquela tarde de forno.

"Me amarrei nessa barra nova"
Tomamos banho na minha sogra (todos, eu, Tide e Davi) e seguimos para o Natal na casa da minha prima (onde a parte da família da minha mãe sempre se reúne). Casa cheia com mais de 20 pessoas, com direito a duas novas adições para a família: Davi e Giovana, com apenas alguns dias de vida. A casa é enorme e fica tudo aberto. A sauna continua e Davi baba (literalmente) ao ver meu primo entrar na piscina. Quer se jogar na água. Tiro a fralda e ele se esbalda com ele na água. Eu arrumo um biquini (da minha prima de 15 anos - observação para a minha vergonha em vestir um biquini pequeno com corpo pós-parto na frente de toda a família, mas até que não ficou tãaao ruim em função da minha magreza-doentinha de vaca leiteira que sou). Caio na piscina, mas aí já é tarde, pois Davi já tinha super estranhado a boia que ganhou da bisa (daquelas de encaixar as perninhas). Ele, que praticamente não estranha nada nem ninguém, não podia nem ver eu encostar no bicho-boia que morria de medo. Acho que meu primo resolveu colocar ele direto na boia enquanto eu estava me trocando, sem ao menos apresentar o brinquedo novo à criança. Consequência: primeiro trauma de Natal.

"Bicho-boia feio"
Depois da piscina, dormiu horrores no colo, no meu e de quem se protificasse a segurar a criatura. Acordou quase às 2h da manhã com a pilha toda e brincou mais um tanto. Na hora de ir embora, de carro, mais um escândalo. Só que eu tinha de voltar dirigindo porque o pai tinha bebido vinho. Então, não tinha peitinho para acalmar. O caos. Cheguei em casa, mais um banho e cama (na minha). Dormiu feliz até 9h15 da manhã (musiquinha da vitória do Ayrton Senna porque eu acordei "tarde").

Domingo, dia 25, almoço com a família do meu pai, na casa dos meus pais. Glória... Ar condicionado split na sala e quartos ligados na última potência. Estava quase frio. Uma delícia e Davi pôde usar pelo menos um dos seus modelitos de Natal. Se esbaldou com os presentes, mas se amarrou nas bengalas dos avós da minha prima. Comeu rabanada depois de ter jantado e comido a sobremesa politicamente correta (mamão amassado). Adorou o docinho politicamente incorreto. :-) Chegamos em casa exaustos, mas felizes por ter compartilhado com toda a família o primeiro Natal do filhote.


"Não sei se gosto mais da embalagem ou do presente"

Já o final de semana do ano novo foi bem menos agitado (ufa...). Passamos na casa dos meus pais. Até queria ter ido na praia, ver os fogos, mas choveu e eu fiquei com receio de levar a criatura. Vai que cai um toró e ele fica com medo dos fogos? Então, ficamos em casa eu, o pai, Davi e bisa, enquanto o restante do pessoal foi pra praia. Mesmo com um reveillon mais light, não poderia ter sido melhor.

E, como ano novo é tempo de novos planos, parei para refletir. O que eu quero de 2012? Como superar 2011, ano em que nasceu o Davi e compramos nosso apartamento P-R-Ó-P-R-I-O de 2 quartos? Difícil... Então, cheguei a conclusão de que em 2012 o que eu mais quero é curtir o que conquistei em 2011 e se acontecer mais alguma coisa desse naipe, tô no lucro!

6 comentários:

Celi disse...

Liza Feliz 2012! Que a alegria faça parte de todos seus dias. Beijos

Ju disse...

Nhóóóóóó! fotos fooofas! Amei a foto nova de nove meses que está aqui do ladinho =)

No mato sem cachorro disse...

Achei D+ suas resoluções para 2012!!! E será muito bom, não tenho dúvida. bj

Tarciane Amorim disse...

Passei e resolvi ficar...
Te seguindo!

http://www.tarcianeamorim.com.br/

Cláudia Leite disse...

Davi é lindo parabéns!
Adorei suas fotos, vc tem câmera profissional neh?

Vi que o Davi fica na escolinha, assim como minha Isabella. Na maioria dos blogs que visito as mamães ficam em casa com os bebês, é bom trocar figurinhas com quem passa pelo mesmo que a gente.
Tb fiquei sem saber o que fazer no recesso de fim de ano da escola, e minha mãe e marido verezaram nos cuidados.


Bjo e voltem sempre ao nosso blog!

Liza Souza disse...

Liza, como tá fofo o Davi! Lindo demais! Nossa, ele me lembra tanto o Miguelzinho quando era bebê. Desejo de coracao que seu 2012 seja muito especial e que voce aproveite realmente a delicia de ser mae de um bebê tao lindo e abencoado por Deus e que curta a sua casinha nova que Papai do céu te deu. Que voces sejam muito, muito, muito felizes nesse novo ano e sempre. E que continue compartilhando conosco muitas coisas especiais através desse cantinho adorável! Beijo grande!